quinta-feira, 8 de abril de 2010

Entrevista: Sistema Memória da Alma

SISTEMA DE MEMÓRIA DA ALMA

com
SUSAN KERR

Susan Kerr, autora do livro Sistema de Memória da Alma – Como usar o sistema de energia de seu corpo para mudar sua vida, nasceu no Texas. Graduou-se na Universidade de Adelphi, Nova York, em 1970. Sentiu o despertar de suas percepções mediúnicas ainda jovem, quando se desdobrava espiritualmente e pressentia acontecimentos.
Sensitiva, identificava as energias, os pensamentos e as emoções daqueles que a rodeavam. O sucesso do Sistema de Memória da Alma deve ser creditado, sem dúvida alguma, à fantástica experiência da autora – médium, estudiosa e pesquisadora, que não se contenta em observar, mas deseja, sempre, comprovar.
Nesta entrevista, Susan fala sobre como são suas experiências fora do corpo, qual a importância das emoções e dos chacras no Sistema Memória da Alma, e sobre a vida humana e seu caminho à iluminação.

“Iluminação é sentir e entender-me como Deus.” – Susan Kerr

SAMUEL SOUZA DE PAULA
Tradução: SHEILA TEIXEIRA


Como foi o seu despertar espiritual, suas experiências espirituais mais marcantes? Como elas motivaram a sua caminhada pela vida? Fale um pouco sobre sua jornada...
Minha jornada espiritual começou aos seis anos de idade, quando tive uma amidalite e passei por uma experiência de quase-morte. Lembro-me de ouvir os médicos conversar, de me ver deitada na mesa de operação assistindo-os trabalhar no meu corpo, passando por um ‘túnel de ruídos intensos’ que terminava num lugar cheio de luz e de amor. Desde então, iniciei uma caminhada para encontrar aquele amor novamente. Minha jornada espiritual foi bem sucedida, pois eu achei um amor ainda maior e mais fascinante, na noite em que fui iluminada. O que eu quero dizer com ‘iluminada’ é sentir e entender-me como Deus. Eu explico esta jornada em meu novo livro “The Power of Enlighten Now” (O Poder de Iluminação Agora) que ainda está em produção e será lançado em breve.

Você sempre teve experiências fora do corpo? Como elas influenciaram sua visão de mundo?
Eu nasci médium. Minha primeira lembrança de uma experiência mediúnica foi ao ter uma experiência fora do corpo com três anos de idade. Em função desta habilidade, minha visão do mundo foi sempre meio destorcida. Eu fui sempre diferente. Eu podia fazer coisas e saber coisas que outros não entendiam. Estas habilidades eram instintivas e me confundiam muito, especialmente durante minha infância. Isto durou até minha adolescência quando, lendo livros sobre outros médiuns, comecei a entender. Tive muitas experiências fora do corpo desde então, em diferentes níveis. O que quero dizer é que foram em diferentes dimensões, não só no plano terrestre. Viagem astral é feita través da mente. Eu sempre a faço em meditação ou em estado alfa, como quando estou quase adormecendo. Em viagem astral as luzes são diferentes, mais douradas e suaves. Os sentimentos podem ser diferenciados e isto afeta a experiência. Às vezes, estas experiências parecem muito reais e intensas como um sonho lúcido, especialmente se emoções são trazidas à tona.

Por exemplo?
Tive um marceneiro em minha casa fazendo um trabalho que duraria alguns dias. Naquela noite encontrei em minha meditação um homem que estava bastante agitado, entrou subitamente em minha casa para me dar uma mensagem que deveria ser entregue ao marceneiro. Ele transmitia uma emoção muito forte, o que tornou a experiência bastante vívida. No dia seguinte, eu descrevi o homem ao carpinteiro e lhe dei a mensagem. O carpinteiro conhecia aquele homem muito bem. Ele era um amigo que recentemente perdera um membro de sua família. A mensagem ao carpinteiro era de que ele também iria perder membros de sua família. O que ocorreu vários meses depois. Entre 1990 e 1993 estudei num Ashram no Oregon. No final dos meus estudos aprendi a receber meus ensinamentos através de projeção astral em vez de ter que estar lá pessoalmente. A sensação da experiência era totalmente diferente, já que era mais mental que emocional. A informação vinha através do pensamento em vez de visão/imagem. Visualmente era turva com poucas imagens e muito pouca luz.

Você já teve experiências fora do corpo em que encontrava animais?
Através da minha mediunidade eu falo com animais o tempo todo, seja ele vivo ou morto. Eu aprendi isto quando estudava no Ashram. Depois da minha primeira experiência me tornei vegetariana. Aprendi que os animais têm uma alma assim como eu, e que as almas vêm em corpos diferentes, seja como um animal, inseto ou humano para aprender diferentes lições. Os índios reconhecem este ensinamento. Ao estudar os animais eles viram os diferentes comportamentos emocionais e compreenderam que os animais que atraímos, ou seja, nossos animais de poder são, na verdade, espelhos para a jornada emocional pela qual semelhantemente estamos passando.

Podemos encontrar, atualmente, diversos estudos sobre os chacras e as energias. É um tema que podemos dizer “não saem de moda”, talvez pela própria necessidade humana de aprender a trabalhar suas forças e estarem bem. A medicina chinesa, a acupuntura, por exemplo, vem cada vez mais sendo respeitada pelos sistemas de cura tradicionais. O que é o sistema de memória da alma e como chegou a esta concepção?
Você está correto sobre a idéia de que os chacras têm sido um tema bastante popular e que muito foi escrito sobre isso, com a mesma quantidade de diferentes opiniões. Em minha busca por amor e conhecimento espiritual nunca considerei os chacras, até iniciar meus estudos no Ashram. Minha proposta ao estudar lá era aprender mais sobre o amor, em outras palavras, a iluminação espiritual. Nunca me preocupei muito em estudar os chacras, ou aprender a falar com os animais, ou aumentar minhas habilidades mediúnicas. Todas estas habilidades, que enriqueceram meus talentos, vieram como um efeito colateral da minha iluminação espiritual. Quando atingi a iluminação, notei o papel dos chacras com uma visão completamente nova: da maneira que Deus as vê. Em outras palavras, quando você vê que tudo é Deus, e isto significa você, que você é sempre Deus mesmo quando representa o papel de homem, então percebe que para representar este papel você precisa de um método para conter todo o seu amor e potência energética, para que possa existir numa dimensão mais baixa. Portanto, Deus criou um sistema no qual podemos existir na Terra, sem lembrarmos quem realmente somos. Isto é o sistema de memória da alma. Um sistema composto pela alma e os chacras. Quando percebi isso, comecei a ver como este sistema funciona e seu papel como nosso subconsciente. Escrevo mais sobre isso no meu livro Sistema de Memória da Alma.

Vivemos em uma época, em que tudo é muito rápido, de muitas exigências e procura, e às vezes as tarefas são para ontem. Tenho observado que nesse corre-corre, é muito fácil a pessoa agir sem alma, sem presença naquilo que está fazendo. Pra você, o que seria a alma?
Há somente uma palavra para se descrever a alma – emoção. Deus é amor puro, uma emoção. O amor nesta dimensão é yin-yang, é tudo desde o amor até o ódio e todas as emoções entre eles. Portanto, para se ter alma em sua vida e estar presente você deve sentir suas emoções. É simples assim. A iluminação ocorre quando você sente suas emoções. Você pode pensar e estudar o quanto quiser, ou não pensar tentando acalmar sua mente, mas nunca se conhecerá como Deus desta maneira. Pensamentos são como fatos. Sem as emoções eles nunca se tornarão sabedoria.

No sistema memória da alma, você fala do Ser Pequeno e do Ser Maior, como você os contextualiza em nossa época atual?
Em nosso núcleo, somos todos Deus. Eu chamo isso de ‘Ser Maior’. Vivendo como seres humanos, estamos vivendo nosso ‘Ser Pequeno’. Neste nível, somos impossibilitados de nos conhecermos como Deus, o que é essencial para sentir a experiência completa da vida na terra.
Também seria muito difícil viver na terra como o Deus-Eu, pois foi o que Buddha, Jesus e Maomé fizeram. E é por isso que eles estiveram aqui por tão curto tempo.

Acredito que tudo na vida está em processo evolutivo. E este processo evolutivo acontece por meio das relações. Como me relaciono comigo mesmo, com o outro, com o meu contexto, a natureza, o mundo, etc. Nos relacionamentos, qual a importância das emoções? Quais as dicas para quem quer trabalhar melhor suas emoções?
Como mencionei antes, a única maneira de evoluir é conhecendo-se emocionalmente. Como você se sente sendo você? Como você se sente sendo você como pai? Como você se sente sendo você tendo dois trabalhos e ainda não tendo dinheiro para pagar as contas? Como você se sente sendo você com um marido que te trai ou um pai que te ignora? Tudo em sua vida neste momento é a reflexão de uma emoção que você não está sentindo. Em outras palavras, você vive e atrai o que você não sente. Até que você o sinta, não será capaz de mudar e adquirir o conhecimento para continuar.

Todo mundo quer ser feliz, quer sentir alegria, ter sucesso, ser alguém. Como você vê esta busca por felicidade e qualidade de vida?
A verdade sobre nossa realidade é que para cada ação há uma reação em razão proporcional. Isto é yin-yang. No momento em que você cria o sentir-se feliz, também cria a emoção de sentir-se triste. Uma vez que você compreende que toda emoção é transitória, que ela só existe no momento, você ganha um sentimento de tranqüilidade e calma. A vida humana é feita de altos e baixos. Quanto mais você sente, mais altos são os altos e mais baixos são os baixos. Isto aumenta sua energia vibracional criando mais poder ou chi, que traz com ele boa saúde, habilidade mediúnica, habilidade de manifestação e uma sabedoria profunda do seu eu.
Para se ter sucesso, tem que se conhecer o fracasso. Este efeito yin yang é preciso para que se possa julgar onde estamos em nossa jornada. Isto se aplica a todas as emoções. Se você quer ser ‘alguém’ e está atualmente vivendo como um ‘ninguém’ então você deve saber como é ser ninguém. Quando você sentir esta emoção, você então irá atrair o oposto, que é ser ‘alguém’.

Qual a importância do dinheiro e dos bens materiais para o desenvolvimento da espiritualidade? Neste caso, como espiritualista, qual a sua opinião sobre a energia do dinheiro?
Este será o tema do meu próximo livro “The Spiritual Requirements to Having Money” (Os requisitos espirituais para se ter dinheiro). Não quero entrar neste assunto agora além de dizer que dinheiro é muito importante em termos espirituais.

Aos sete anos de idade tive algumas experiências relacionadas com a busca de conhecimento. Sempre gostei de livros e livrarias me encantam. Um amigo espiritual me disse que os livros são como as plantas, possuem vida. Na sua visão o que são os livros e como eles podem influenciar nas mudanças pessoais?
Cada um que lê um livro o lê de maneira diferente. A experiência que você tem em sua vida irá colorir a sua interpretação do que lê. E do que você precisa. Você atrai o que precisa. Por isso não é estranho que livros caiam em nossas vidas. Algo ali escrito irá te tocar.

Susan agradecemos sua disponibilidade e dedicação nesta entrevista. Por favor, deixe sua mensagem final aos leitores.
Quero agradecer por esta oportunidade de compartilhar minhas idéias. Espero que deixem esta entrevista lembrando de uma coisa, lembrem-se de sentir suas emoções. Não me canso de repetir quão importante isto é para seu bem-estar e suas realizações espirituais.


ENQUETE:
Você tem interesse em participar de cursos presenciais, aqui no Brasil, com Susan Kerr?
Envie um e-mail para: samuel.s.silva@bol.com.br

5 comentários:

Naty disse...

Eu tive a aportunidade de ler esse livro, na vdd não eh apenas um livro é uma filosofia de vida, um curso que fazemos através da leitura, e praticando o que nele contém.

Camila Gayatri disse...

muito interessante e esclare4cedora entrevista. quero ler todos os livros dela.

Samuel Souza de Paula disse...

Sim, este livro traz pricipios e uma oportunidade de autoestudo, autoconhecimento e prática. O livro "Sistema Memória da Alma" está com edição esgotada no Brasil e o "The Power to Enlighten Now" não foi publicado em português. Abraços de luz!

Maristella Pelicer disse...

tenho o livro... indicação do meu terapeuta neurolinguista.... descobri mistérios d mim mesma lendo o livro... Revelador, intrigante, muito especial. Amei!!!! agradeço meu médico p ter me indicado ele p leitura.

Fabiane Maciel disse...

Olá! Li esse livro a muito tempo...passei o livro a diante, e, acho que vou compra lo novamente, porque realmente ele é fantastisco!já indiquei para muita gente... Aproveito tambem, para perguntar sobre este novo livro dela, acerca do dinheiro...gostaria de compra-lo, já tem aqui no Brasil?como faço par adquirir? obrigada.