domingo, 1 de maio de 2011

001: Inspirações Xamânicas para o nosso Cotidiano

A REALIDADE DE UM SONHO




Antigamente... quando era habito reservarmos um tempo para conversar. Enquanto se esperava o desjejum, podíamos contar os nossos sonhos, as miragens noturnas e as “mensagens do invisível” como dizia um velho sábio xamã. Lembrei deste tempo segundos antes do despertador tocar e num solavanco, ainda de olhos fechados, desligar o “galo moderno”.

Sim, sonhei. Sonhei com um povo que amava fazer parentes e não ergue muros e paredes. Sonhei com uma fala ancestral, simples e profunda que tocava meu coração. Sonhei que o espírito do amor visitava meus pensamentos, minhas sensações e energias de maneira tão mágica que contagiava minhas ações.

Sonhei com uma semente e ela... tão pequena, tão frágil, tão cheia de olhos e visões pousava em minhas mãos, e eu via outras muitas sementes nas mãos de outros parentes. Gente como a gente, que almeja encontrar afinidades e reconhecer irmãos. Parecia a maior das utopias, parecia um pensamento sem “pé no chão”, ou “sem pé nem cabeça” em um mundo de muitos perigos e tantos pés sem ritmo do coração perdidos na multidão.

Quando abri os olhos despertei para as possibilidades de realidade e as buscas pelo alimento na selva de pedra. Sabia que não estava sozinho, uma força havia renovado meu espírito. Era como se encontrasse a verdadeira parceria, um estado de potência, um canto misterioso, uma melodia da cocriação. Mas era tão simples, era quase nada e eu nadava nas águas da realidade de um sonho.

Minutos depois, após um banho cerimonial na cachoeira quente - reverenciando as forças da água e o poder do fogo. Prossegue o rito matinal e a mistura da realidade comum e incomum. Aprecio alguns goles, como os astecas chamavam, de “chokolaj”. Palavra que significa “Beber chocolate junto”. Sim, sorvia os goles com as inspirações do sonho, a companhia amorosa e a energia para um novo dia.

Que tal fazermos parentes? Que tal incentivar uma pessoal a identificar seus sonhos e mensagens? Que tal fazer parcerias e juntar as sementes?

Mitakuye Oyasin!
“Por todas as nossas relações!”


Nota:Mitakuye Oyasin: Saudação xamânica, utilizada pelas tradições nativas da América do Norte, que significa: “Por todas as nossas relações!”. É proferido em várias cerimônias para honrar todas as nossas conexões com a teia da vida, com tudo o que existe. Todas, sem exceção. Isso é muito abrangente... Estão inseridas no mantra aquelas pessoas de nosso convívio, todos aqueles que cruzaram e cruzam os nossos caminhos no dia a dia, com seus ensinamentos, sejam eles quais forem. Aqueles que vieram antes de nós. Aqueles que virão depois de nós. É honrar aos nossos amparadores, toda a Mãe Natureza, o Grande Espírito. Está impresso neste mantra honrar o sagrado através de nós. Ou seja, quer dizer que não estamos apenas realizando aquelas práticas para nosso beneficio próprio mas para benefício geral de tudo e de todos. Vamos dizer que é uma afirmação de que Somos Todos Um!


Série: 365 Inspirações Xamânicas para o nosso Cotidiano
Autor: Samuel Souza de Paula
Imagem: Carlos Tavares Fotografias
Site: www.espiritualidadenatural.blogspot.com

2 comentários:

As Inspiradas disse...

Tocante... beijo.

Samuel Souza de Paula disse...

Gratidão e inspirações em nosso caminhar. Beijo.